"Quando o coração tem uma missão, o corpo ganha vigor"

Bravo Returns

Após exatos 31 dias sem treinos, consegui retornar as atividades físicas depois de uma tomografia confirmando que estava tudo bem. A ansiedade era tanta, que peguei o exame e fui direto para a piscina comemorar :}

Sábado um pedal em grupo (Álvaro, Felipe, Guilherme e Jorge) me deu uma noção do estado físico que me encontro, pernas boas, coração nem tanto. Apesar do coração de beija-flor que tenho, principalmente no ciclismo, os bpms mantiveram-se sempre acima do normal, chegando a bater nos 100% num tiro com o Jorge, mas dentro da  "normalidade" para quem passou um mês jogado as traças.

Domingo rolou até um treino de transição com o Felipe, 35min na lagoa + 8km de corrida. A natação com os braços mais pesados que o normal e a corrida confirmando o que senti no ciclismo, o coração acusando antes das pernas, mas com a certeza que brevemente o equilíbrio entre ambos volte.

Nas duas últimas semanas, quando perguntavam-me sobre punta, respondia - vou fazer uma semana teste antes de decidir...pura balela. Lá no fundo já estava decidido, só não ia fazer a prova se me tirassem o rim e olha que o rim a gente tem dois...bobia já viu, ia fazer a prova mais leve :>)

Então decidido, 4/12 estou alinhando. Só para deixar claro, com aval médico estou indo para a prova, saúde em primeiro lugar, mesmo sabendo que a mesma passa longe deste tipo de prova.

Usando as palavras de um e-mail que troquei com o Deco hoje, "posso até não terminar a prova, mas prefiro ficar com o sentimento de ter tentado, do que desistir sem tentar".

Então, agora são seis semanas de muito treino, come e descansa (e trabalha hehe) até o início de dezembro.

Valeu o apoio de todos.

Pedra no caminho

Como diz o ditado negativista, quando a coisa está ruim, pode piorar ainda mais.

Vou retroceder alguns dias para chegar exatamente a frase acima, recomeçando do dia que parei aqui no blog.

Após mais uma semana muito boa de treino, a confiança estava lá em cima. Começava a almejar algo mais que "apenas" terminar o Ironpunta. De acordo com o desempenho que vinha tendo nos treinos já começava a projetar algo mais ambicioso, mesmo respeitando muito a prova.

Na segunda, aproveitei uma folga no trabalho e fui a fronteira com a esposa fazer um contrabando :>). Achei até um meia de compressão da Under Armour por U$33,00. Fica a dica.

Bom, voltando ao que interessa, terça foi feriado aqui no RS, o planejado era natação pela manhã e corrida a tarde. Comecei com 300m aquecendo, após uma série de 5 x 400m A3. Ao final do terceiro tiro comentei com o Guilherme que treinava na raia ao lado que estava me sentindo um saco de batatas no dia.

Logo no início do 4º tiro comecei a sentir uma forte dor abdominal, parei no meio da piscina e fui caminhando até borda. Tentei dar uma alongada achando que poderia ser um mal jeito, mas a dor só aumentava.

Mal consegui tomar banho e liguei para a Vivian, e pedi para me buscar. Já na recepção do clube, enquanto eu a aguardava, o negócio estava feio, suava frio, não tinha posição que aliviasse a dor. Quando ela chegou pedi que me levasse direto ao hospital.

Fui vendo estrelihas até chegar, desci do carro vomitando tamanho era a dor, quase perdi a consciência. Fui dopado e dor passou.

Aqui abro uma fenda temporal para resumir o que aconteceu, pois o quanto menos lembrar-me do ocorrido melhor, experiência como essa não desejo nem para o inimigo.

Tive que tratar um cálculo renal. Passei por um procedimento cirúrgico no domingo (25). Terça a noite tive alta do hospital. Estou com duas sondas, uma externa que devo retirar na segunda (03/10) e uma interna que devo tirar pelo dia 20/10.

Provavelmente poderei retornar aos treinos apenas no dia 24/10, ou seja, um balde água fria nas minhas pretensões em punta.

Agora é exercitar a paciência, tentar focar em outra coisa para não entrar em parafuso, dias de muitas dúvidas e nenhuma certeza.

Ainda não sei se vou fazer a prova, vou esperar para fazer uma semana teste e ver o tamanho do estrago que estes 33 dias sem treinos farão ao corpo.

Se conseguir retornar aos treinos na última semana de outubro, são cerca de 40 dias até o Iron. Será que dá? Vale a pena arriscar? Não sei, só tempo o dirá.

Voltando a primeira frase do blog, já não bastava a dificuldade de conciliar principalmente treinos/trabalho, uma pedrinha de 0,5cm aparece para piorar tudo.

Tentando chutar a ansiedade para fora do corpo e ser paciente.

"Aquele que tiver paciência terá o que deseja." - Benjamim Franklin