"Quando o coração tem uma missão, o corpo ganha vigor"

Alegria de uns ( dos traumatos), tristeza de outros.

Crowie

Uns dias atrás, enquanto arrumava meus vídeos no youtube, deparei-me com uma série de vídeos do Craig Alexander, onde fala da preparação para Kona.

Série divida em 5 partes, vale a pena conferir.




















Pego no flagra

Pego no flagra...fazendo um pipi na bike hehe.


Um dia na vida de Eneko Llanos

Bravotriathlon.com

O blog ganhou um presente do Papai Noel e está de endereço novo: http://www.bravotriathlon.com .



Não é necessário fazer qualquer alteração para continuar acessando-o. Se você tem o blog nos favoritos do navegador, se assina feeds ou segue por e-mail, ele redirecionará automaticamente para o novo domínio.

Aproveito a oportunidade e desejo a todos os amigos um feliz natal.

A preparação para o Iron em números




Enquanto atualizava alguns treinos no Trainingpeaks, resolvi tirar um report dos treinos desde o marco zero da preparação do Ironpunta, 23/05/2011, então para quem gosta de números, aí vai.

Seriam 6 meses de preparação, mas acabei ficando 1 mês de molho, então as "continhas" foram feitas em cima de 5 meses.



Swim
Tempo: 49h35'
Distância: 143 km
min/100m: 2'04"
Média mês: 28.6 km

Bike
Tempo: 105h54'
Distância: 2878 km
Média: 27.18 km/h
Média mês: 575.6 km

Run
Tempo: 48h01'
Distância: 525km
Pace: 05'29" min/km
Média mês: 105km

Musculação
Tempo: 30h35'

Total
Tempo: 234h05'
Distância: 3546 km
Horas Semanais Média: 11h42'15"

Conclusões, ia fazer uma para cada modalidade, mas o último dado, ao menos para mim diz muita coisa:

- Se o cara vem de uma base razoável, com duas horinhas por dia em média de treino, seis dias na semana, acho que posso concluir, apesar do meu humilde conhecimento sobre o tema - VAI QUE DÁ!!!!


Clip Iron Punta 2011 - Argentina Xtreme

Como foi 2011

Comecei a retroceder as postagens do blog, que por sinal foram poucos em 2011 :>) e notei algo que tinha passado desapercebido, faltou apenas fazer um Ultraman para disputar todas as distâncias clássicas que o triathlon possui, se é que o Utraman podemos chamar de clássico. O ano de 2011 foi muito bom.

Acho que o ano merece um pequeno "remember"!!!

O ano começou em fevereiro, com que eu chamo a prova do quintal de casa, pois o ciclismo e corrida passa a 50m da casa da sogra. Triathlon do Laranjal com a distância Sprint. Foi meu melhor tempo na distância até agora 1h15'52", só não foi melhor pois minha natação foi ruim, na verdade péssima.



Apesar de não ser a distância que gosto, a prova é muito boa, pois está toda a parceria do triathlon da região, sem falar nos familiares e amigos que vão prestigiar a prova.

Em março o desafio deu-se em terras Uruguaias com Halfpunta. Um 70.3 que virou um duathlon terrestre de longa distância, pois no dia da prova, a organização alegou que não tinha como dar segurança aos atletas pelas condições do mar.



Excelente prova, com um ciclismo desafiador pelas duas duras subidas e o vento tradicional do local. Infelizmente meu tendão não estava preparado para o 5.4km/90km/21km e após a prova voltei a sentir a inflamação no iliotibial.

Um avanço rápido pelo inverno e cheguei ao mês setembro participando de um triathlon de velocidade. É o tipo de prova que sempre lembro de pouca coisa, as únicas lembranças são de sempre estar ofegante, com o coração lá no goela.



No final de setembro o tratamento do cálculo renal me afastou completamente durante 25 dias das atividades físicas. Dez dias no hospital em cima de uma cama, outros dez com uma sonda externa e os últimos 5 até tirar a dreno interno. A prova alvo do ano (Ironpunta) ficou em "check". Se não fosse pela base feita no inverno, o Iron tinha ido por água abaixo.

Lembro como fosse hoje, fui pegar o resultado da ressonância para levar para médico com a mochila nas costas, com o intuito de voltar aos treinos imediatamente após saber o resultado. E deu tudo certo, naquela noite já dei as braçadas de retorno.

Parecia haver uma conspiração, na primeiro final de semana de novembro sofri uma queda de bike (não contem para ninguém, mas foi culpa do Michel hehe). Tive alguns ferimentos na perna direita, mas seguimos o treino. Paramos no meio da caminho numa farmácia para um limpeza dos machucados e mais pedal. Mas como missão dada é missão cumprida :>) ainda fui terminar o dia com 10km de corrida.

O tratamento emergencial falhou numa das feridas. Ela infeccionou e acabei ficando longe das piscinas durante 14 dias para tentar acelerar o processo de cicatrização.

Mas no meio destes dias, tive um "recaída", o vício falou mais alto e fui a Osório, novo paraíso do triathlon gaúcho para uma prova olímpica. O tempo foi 5' melhor que o ano anterior, sendo que fiz a prova sem forçar muito. Era o que precisava para adquirir a confiança novamente.

Doze dias atrás estava completando o Ironpunta, que o destino tentou de algumas formas tornar o sonho mais difícil ou até impossível nesse ano. Como o evento é recente, se clicares na postagem anterior, tudo sobre ele.



Barba, cabelo e bigode, do Fast Triathlon ao Iron em 2011.

Saindo um pouco da esfera do Tri, fiz duas provas de ciclismo. Uma delas bem especial, marcou o retorno do amigo Álvaro as competições após longos anos afastado. O brabo é que na segunda prova, ele já me largou na primeira subida hehe.



Não menos importante, participei da criação de uma equipe de triathlon, muito provável a primeira do "extremo" sul do estado. Quem quiser conhecer mais aqui.

E 2012, o que será dele? Quem sabe no próximo post uma ideia do que vem por aí!





Ironpunta 2011

Como o óbvio é começar pelo início, então vou chover no molhado, partindo do começo. Sempre imaginei que este relato teria muita dor, sofrimento e um final feliz. Mas acho que fiz direitinho o dever de casa nos seis meses que antecederam a prova e sobrou só o final feliz.

Saí rumo a Punta na segunda 28/11, viagem muito tranquila. São quase 530km desérticos até lá.

Na terça cedinho fiz o reconhecimento do local da maratona e a tarde treino de natação no local da prova. Na quarta o tempo virou, e o vento estava a 60km/h com rajadas de 85km/h. Se arrependimento matasse, tinha batido as botas neste dia, pois peguei a bike para um treino e só passei trabalho. Até tomei um chopp a noite para ver se esquecia do vento hehe.



Mas a preocupação com o vento não passou, e todo acesso a internet consultava o windguru para ver o intensidade no dia da prova.

Quinta o tempo deu uma melhorada e soltei pernas com uma corrida. Na sexta, as últimas braçadas antes do dia D.



Sábado, dia de almoço no Conrad e congresso técnico. Tive a oportunidade de bater um papo com Newton, vencedor da prova e o Vagner da Mundotri.

Quando voltei para o hotel e comecei a organizar as sacolas, adesivar capacete e bike começou a cair a ficha, não tinha volta.

Dormi muito pouco, mas como "apaguei" nos outros dias, estava tranquilo em relação ao sono.

Despertei 04:30, reunião com o pessoal, despachei todo mundo, café no quarto e parti para o local da prova.

Aquela ansiedade que atormentou minha noite de sono desapareceu, eu e a Vivian fomos caminhando até o estacionamento do Conrad, onde estava montada a área de transição. No trajeto rolou um papo descontraído com direito a fotos pelo caminho.



Perto do check-in notei que meu cateye não estava funcionando. Num treino com o Michel aconteceu o mesmo, simplesmente parou, dei um reset e voltou a funcionar. Mas desta vez não adiantou. Pedi a Vivian para voltar ao Hotel e pegar o GPS de pulso, para não "navegar" as escuras.

Nem este percalço tirou-me a calma, não pensava mais adiante que o próximo passo. Um aquecimento rápido na água, foto com o Michel, beijo de despedida da amada e.......dada a largada.


Saí do meio para o fim, até a primeira bóia tudo jóia, sem maiores intercorrências. 36' passados estava saindo da água para contornar o cone e ir para a segunda volta. Tomei um copo de água para tirar o sal da boca, uma ajeitada no óculos com todo o carinho e mar novamente. Nesta volta perdi um pouco de tempo na última perna que nos trazia para a praia, pois a visibilidade era quase nula em virtude do sol que nascia atrás do pórtico.



O vídeo não deixa mentir o tempo: 1h14'50". De 5' a 10' menos do que eu esperava. O dia tinha começado bem.



Fiz uma transição tranquila, perdi um pouco de tempo colocando um protetor solar em spray, que ao longo da prova mostrou-se ineficiente. Fui para o pedal com praticamente 5' cravados de transição.



Aí que o diabo começou a colocar os chifres de fora, o vento soprava forte. Ida contra, com a volta a favor.
A estratégia era de não ultrapassar 160bpm para não chegar quebrado para a corrida. Contra o vento para manter os bpm planejados não conseguia ir a mais de 25km/h.



E o diabo dá mais uma cutucada, tu começa a ser ultrapassado e o sangue começa a ferver, perna sobrando e o instinto falando alto, acelera essa M....daí a cabeça faz a diferença, - calma Bravo é só o início, faz o planejado, o que tu treinou, pois tem muito chão ainda, e claro, neste caso, a cabeça não precisa ser de um gênio, basta não ser de um idiota.

Um pouco antes dos 80km lembro de ter visto o gps a última vez ligado e a média em torno de 31km/h. A estratégia montada estava dando bons frutos. Aos poucos comecei a recuperar as posições perdidas no início e ganhar outras. Olhando os resultados  saí da água na 74ª posição e entreguei a bike na 56º.



Terminei o ciclismo com média de 30.08km/h. Conclusão que dá para tirar, o vento quebrou um bocado na segunda metade do ciclismo. Apesar de ter perdido 1km na média, ganhei 18 posições. (não contando os que me passaram durante a primeira parte do ciclismo)

Fato triste, é um pedal com distância de IRONMAN com 160km. Lástima maior é ser avisado durante a prova (minha fotógrafa não perdeu nada hehe). Não tenho dado sorte nas provas que faço fora dos domínios do estado.



Cheguei na transição, e lembrei de uma frase do Kiko - a única coisa que pode me tirar da prova é um problema mecânico na bike. Bah, era só chegar agora hehe.



Pelo horário que vi na máquina fotográfica, entre a chegada e saída da transição levei uns 6'. Minha meta para o último trecho era tentar correr ao menos 21km. Após o halfpunta em março, voltei a ter problemas com o iliotibial, o que acarretou num retorno bem conservador a corrida. E quando estaria no ciclo de maior volume, tive que tratar o cálculo renal, resumindo a corrida ia ser uma incógnita, pois nos treinos os km não passaram de 17.



Parti tranquilo para as quatro voltas, os batimentos estavam estabilizados e as pernas respondendo bem aos estímulos. O circuito era todo plano, a beira-mar. O vento estava tão forte que incomodava até na corrida. A cada posto de hidratação, dava uma uma caminhada para hidratar-me e comer.



Quando fechei a meia-maratona e senti que tinha perna, acho que foi um dos melhores momentos na prova. A Vivian perguntando - tu tá bem? Simmmmmmmmmmm e só faltam duas e vou terminar correndo.



Entrei para os últimos 10.5km muito feliz, dizia para mim mesmo - Seu louco vais conseguir correr a maratona inteira, acho que só não ria sozinho pois as coxas a essa altura do campeonato iam de mal a pior.



Os últimos 5km até o retorno que íamos contra o vento foram sofridos demais. No retorno meti o último gel para dentro da carcaça, olhei o polar 10h36' de prova. Era o momento de deixar todo o conservadorismo de lado, e ser agressivo, tentar chegar abaixo das 11hs.



Nosso corpo é uma máquina incrível e a cabeça nem se fala. Sabe-se lá de onde o cara consegue tirar forças para dar uma acelerada após 200km rodados.



No último km, quando vi que a batalha contra o relógio estava perdida, soltei os gambitos. O dia passou voando, rápido demais, tentei aproveitar ao máximo aqueles últimos momentos. O esforço dos últimos seis meses estavam prestes a se concretizar, chegar ao fim de um Ironman.



Cronometragem oficial: 11h03'04" - Swim+T1:1h19'49" - Bike: 5h19'10" - Bike+T2: 4h24'05"

Resultado muito melhor do que eu esperava. Divagar sobre se não tivesse o cálculo renal, se não tivesse caído de bike e se o ciclismo tivesse 180km, mas "se" não existe, não vale a pena gastar tempo com isso. É mais fácil fazer outro sem esses fatores hehe.

Obrigado ao André que deixou a máquina pronta para a batalha e sempre me tranquilizou quando retornava um e-mail com o treino da semana com a seguinte expressão: A semana foi quebrada, perdi tal e tal treino.

Aos amigos que me acompanharam durante os treinos, deixando eles menos cruéis.



E minha amada, que aguentou por longos meses o mesmo papo sempre e me cuidou na minha enfermidade.

Está chegando...

Ontem escutei - "hoje faz um mês que postaste a última vez". Não sei em que momento desliguei-me do blog.

Já virou uma constante essa retomada ao blog, mas acho que poderia ser pior, talvez um abandono temporal maior, ou até uma falência múltipla, vontade, criatividade, paciência e por aí vai.

No longínquo 24/10, relatei meu retorno aos treinos e a decisão de ir a Punta apesar da ausência forçada dos treinos de quase um mês. Após o retorno, consegui encaixar duas semanas de treino bem consistentes, porém uma queda de bike deixou as duas seguintes bem capengas.

Um dos ferimentos infeccionou, e até agora não cicatrizou 100%. Fiquei essas duas semanas sem nadar para tentar agilizar o processo de cicatrização e não piorar o processo infeccioso. Fiquei com uma pequena sequela, quando estico a perna direita, sinto alguns fincões na sola do pé, na região do calcanhar, mas não atrapalha a mecânica da pedalada e da corrida, vai ser um probleminha para ser resolvido pós Punta.

Mas como o vício é forte, no meio destas duas semanas, não aguentei e fui a Osório fazer um Olímpico. Valeu a pena ter ido, deu para dar um desencanada. A equipe compareceu em peso, Henrique, Kiko, Michel, Diego, Aline e Guilherme (que não participou mas levou o Pedro para correr). Fiz a prova na boa, sem exageros, conseguindo baixar 5' do ano anterior.

Essa semana fiz 4 treinos na lagoa com a roupa, deve ter fechado 11,5km, talvez meu maior volume na água. Foram bem produtivos os treinos, pois além de adaptar-me melhor com a roupa, treinei bastante a navegação. Resumindo, vou sair vivo do gélido mar do Uruguay : >.

Amanhã encerro o ciclo de treinos antes do polimento, um treino de transição 120km + 8km, o quarto com essa característica após o retorno aos treinos.

Domingo um off para arrumar as bagagens, e segunda estou partindo para o "exterior" fazer o polimento no local da prova.

Pela média de postagens do blog,  provavelmente volte a escrever somente após a prova. Espero trazer boas notícias na volta, já que a preparação foi um tanto conturbada, ficando bem a quem que desejava.

Pensei em fazer uma projeção dos tempos, mas ia ser puro chute. Devido a preparação acidentada e pelo  alto grau de exigência da prova, qualquer prognóstico é muito difícil de arriscar. Posso terminar abaixo das 12hs, bem como lutar para chegar antes das 16hs.

O que posso adiantar é a tática, natação conservadora, pedal mais conservador ainda e correr até onde der. Se der para correr até a chegada ótimo, se não, vai caminhando mesmo. O desafio desta tática vai ser segurar o pedal para não comprometer a corrida, o que não é fácil, ver os caras passando e sabendo que poderia estar dando mais.

Agora é curtir a semana pré-prova com a esposa e chefe de equipe e ver o que dá essa viagem insana.

Bravo Returns

Após exatos 31 dias sem treinos, consegui retornar as atividades físicas depois de uma tomografia confirmando que estava tudo bem. A ansiedade era tanta, que peguei o exame e fui direto para a piscina comemorar :}

Sábado um pedal em grupo (Álvaro, Felipe, Guilherme e Jorge) me deu uma noção do estado físico que me encontro, pernas boas, coração nem tanto. Apesar do coração de beija-flor que tenho, principalmente no ciclismo, os bpms mantiveram-se sempre acima do normal, chegando a bater nos 100% num tiro com o Jorge, mas dentro da  "normalidade" para quem passou um mês jogado as traças.

Domingo rolou até um treino de transição com o Felipe, 35min na lagoa + 8km de corrida. A natação com os braços mais pesados que o normal e a corrida confirmando o que senti no ciclismo, o coração acusando antes das pernas, mas com a certeza que brevemente o equilíbrio entre ambos volte.

Nas duas últimas semanas, quando perguntavam-me sobre punta, respondia - vou fazer uma semana teste antes de decidir...pura balela. Lá no fundo já estava decidido, só não ia fazer a prova se me tirassem o rim e olha que o rim a gente tem dois...bobia já viu, ia fazer a prova mais leve :>)

Então decidido, 4/12 estou alinhando. Só para deixar claro, com aval médico estou indo para a prova, saúde em primeiro lugar, mesmo sabendo que a mesma passa longe deste tipo de prova.

Usando as palavras de um e-mail que troquei com o Deco hoje, "posso até não terminar a prova, mas prefiro ficar com o sentimento de ter tentado, do que desistir sem tentar".

Então, agora são seis semanas de muito treino, come e descansa (e trabalha hehe) até o início de dezembro.

Valeu o apoio de todos.

Pedra no caminho

Como diz o ditado negativista, quando a coisa está ruim, pode piorar ainda mais.

Vou retroceder alguns dias para chegar exatamente a frase acima, recomeçando do dia que parei aqui no blog.

Após mais uma semana muito boa de treino, a confiança estava lá em cima. Começava a almejar algo mais que "apenas" terminar o Ironpunta. De acordo com o desempenho que vinha tendo nos treinos já começava a projetar algo mais ambicioso, mesmo respeitando muito a prova.

Na segunda, aproveitei uma folga no trabalho e fui a fronteira com a esposa fazer um contrabando :>). Achei até um meia de compressão da Under Armour por U$33,00. Fica a dica.

Bom, voltando ao que interessa, terça foi feriado aqui no RS, o planejado era natação pela manhã e corrida a tarde. Comecei com 300m aquecendo, após uma série de 5 x 400m A3. Ao final do terceiro tiro comentei com o Guilherme que treinava na raia ao lado que estava me sentindo um saco de batatas no dia.

Logo no início do 4º tiro comecei a sentir uma forte dor abdominal, parei no meio da piscina e fui caminhando até borda. Tentei dar uma alongada achando que poderia ser um mal jeito, mas a dor só aumentava.

Mal consegui tomar banho e liguei para a Vivian, e pedi para me buscar. Já na recepção do clube, enquanto eu a aguardava, o negócio estava feio, suava frio, não tinha posição que aliviasse a dor. Quando ela chegou pedi que me levasse direto ao hospital.

Fui vendo estrelihas até chegar, desci do carro vomitando tamanho era a dor, quase perdi a consciência. Fui dopado e dor passou.

Aqui abro uma fenda temporal para resumir o que aconteceu, pois o quanto menos lembrar-me do ocorrido melhor, experiência como essa não desejo nem para o inimigo.

Tive que tratar um cálculo renal. Passei por um procedimento cirúrgico no domingo (25). Terça a noite tive alta do hospital. Estou com duas sondas, uma externa que devo retirar na segunda (03/10) e uma interna que devo tirar pelo dia 20/10.

Provavelmente poderei retornar aos treinos apenas no dia 24/10, ou seja, um balde água fria nas minhas pretensões em punta.

Agora é exercitar a paciência, tentar focar em outra coisa para não entrar em parafuso, dias de muitas dúvidas e nenhuma certeza.

Ainda não sei se vou fazer a prova, vou esperar para fazer uma semana teste e ver o tamanho do estrago que estes 33 dias sem treinos farão ao corpo.

Se conseguir retornar aos treinos na última semana de outubro, são cerca de 40 dias até o Iron. Será que dá? Vale a pena arriscar? Não sei, só tempo o dirá.

Voltando a primeira frase do blog, já não bastava a dificuldade de conciliar principalmente treinos/trabalho, uma pedrinha de 0,5cm aparece para piorar tudo.

Tentando chutar a ansiedade para fora do corpo e ser paciente.

"Aquele que tiver paciência terá o que deseja." - Benjamim Franklin


After the rain

Sexta a noite, corrida de17km em 1h38'. A ida foi sofrida, muito vento contra, o peso pena aqui sofrendo para manter o rumo hehe, fora a poeira que vinha direto nos olhos.

Sábado deu uma chuviscada pela manhã e parou. Cheguei do trabalho, almocei e fiquei com a tradicional perturbação, rua ou rolo.

Resolvi arriscar e parti para os 70km na rua. Ao subir a capela, cerca de 33km percorridos, fiz o que não se deve, como estava me sentindo bem, resolvi partir para os 120km que estavam planejados para o domingo. Pensei, vou aproveitar o tempo nublado e pouco vento.

Não andei mais 5km e começou a chuviscar, mas o otimismo tradicional permaneceu, é só uma nuvem, logo passa. Essa passou rapidamente, mas logo vieram todas as outras :>) e o que é mais um peidinho para quem está todo cagado hehe, fui adiante.

Quem conhece a estrada sabe que após a capela é só um sobe e desce. Pela primeira vez não me importei de subir, pois estava perigoso descer. Meu pneu é slick, o asfalto estava um sabão e mais o spray que os caminhões faziam, cada descida era uma beleza.

Na volta tive que fazer um pit-stop no Casarão, pois levei água e comida para 70km. Ao entrar na lancheria ganhei uma olhada de cima abaixo de todos no recinto, não bastando as lycras, todo molhado e embarrado.

Fechei o treino com 4h01', encharcado, mas muito feliz.

Hoje arrisquei novamente e fui pedalar na rua após o meio-dia, mas agora com mais sorte, sem chuva. Tranquilos 68km em 2h21'.

Números da semana:

Swim - 6200m - 1h59'29"

Bike - 227.80km - 7h57'

Run - 38.85km - 3h41'

Musculação - 2h

Total - 272.85km - 15h37'55"

Abaixo um clip do Nelson (talvez o ápice da poseragem), música que tem o mesmo nome do post. Gabriel, não poderia deixar de te citar quando rola o Nelson hehe.






De onde eu parei.

Bom, parei de escrever no sábado passado, então vou a partir daqui.

No sábado o previsto eram 3hs de pedal. Saí com o Cícero, e com um encontro aleatório com o Marlos na BR. Meu parceiro de treino não estava afim de brincadeira, só pancadaria e para complicar um vento lateral muito forte dificultando a posição no clip. Foram 86km na BR em 2h35', média de 33.2km/h, total de 99.88km em 3h08'.

Domingo, 15km junto com o Michel com o que sobrou das pernas. Na segunda, mais um run de 12km para soltar os gambitos.

Terça, musculação e alongamentos de manhã e a noite 45km de pedal no frio...é, ele não foi embora, cheguei que era um picolé.

Quarta, 2km de natação ao meio-dia e intervalado de corrida a noite. Ontem não consegui fazer o pedal de 70km previsto por causa do trabalho, mas consegui encaixar uma natação noturna.

Hoje novamente musculação cedinho e um tirão de 1.6km de natação para completar a rodagem da semana. Para terminar o dia, a noite 17km de corrida.

Amanhã 70km de bike para recuperar o treino de quinta e no domingo mais 120km. Espero que dê para realizar na rua, já que a previsão do tempo não é das mais otimistas, pois fazer 190km em dois dias no rolo....haja saco, em todos os sentidos que a palavra permite.

Semana

Sabia que não ia funcionar a tentativa de postar todo  dia algo, mas ao menos tentei :>).

Então, recapitulando. Domingo fui a capital para o fast triathlon da Raiasul.

Prova muito bacana de fazer, coração na goela o tempo inteiro. Três baterias de 250m de natação, 6km de ciclismo e 1450m de corrida.

Para quem não leu o último post do Bessa, exemplo claro que melhorar o desempenho não significa ser mais competitivo. Em 2009 fui segundo no age, com 1h18min. Este fui terceiro com 1h10min. Vale a penar dar uma conferida no que o Vagner escreveu, muito bom o texto.

De volta a província, segunda 2000m de natação num tirão só. Terça, cedinho uns ferrinhos e alongamentos e a noite 10km de corrida, com um comemorado retorno do amigo Felipe aos treinos.

No feriado de quarta, rolou um pedal a tarde (Felipe, Guilherme, Jorge e Tomaz) algo em torno de 67km.

Quinta 45min solto no rolo. Ontem, musculação pela manhã, natação ao meio-dia e 14km de corrida a noite.

Daqui a pouco um bate-volta até Rio Grande de bike, e amanhã um longuinho de corrida com o que sobrou da semana.

Matéria no Jornal Agora

Link da reportagem no Jornal Agora.

Ironsul no Triathlon de Velocidade Raiasul

Aqui participação da equipe no triathlon de velocidade da Raiasul.

Resultados completos assim que a Fgtri disponibilizar no site.

Ironsul - Triathlon Velocidade Raiasul

Notícia completa no site da equipe.

Mamão com açúcar

Hoje só foi para passar frio, planejado 45 min solto de bike. Domingo tem o fast triathlon da Raiasul. Bike - 51'38" - 21.1km

Teste

A semana de descanso chegou a metade. Ontem natação ao meio-dia e corrida com tiros a noite.

Aproveitei e testei o k-swiss run tube 100 que comprei na Centauro por R$129,90, na verdade arrisquei e comprei dois pares, pois somando o valor dos dois não comprava o Asics de sempre.

E não me arrependi, o tênis é leve, com boa estabilidade e muito confortável. Corri um pouco mais de uma hora e cheguei em casa com os pés zerados. Fica a dica, ainda estão em promoção.

Swim - 26'20" - 1400m
Run - 1h05' - 12.54K

Gelado


O dia começou com musculação as 7:00. Natação ao meio-dia, recuperando o treino de ontem.
A noite um pedal gelado, intervalado com o Cícero na estrada para o Laranjal.
De saco cheio do inverno....

Swim - 31'02" - 1600m
Bike - 1h20' - 40.39km

Soltinho

Me enrolei hoje pela manhã e não fui nadar, ficou para amanhã ao meio-dia. A noite rolou um regenerativo de corrida, bem soltinho.

No treino escutei uma poseragem no mp3 que fazia tempo que não ouvia, vídeo abaixo da música. Homenagem para o Prof. "Farofa" que foi sub5 em Penha no 70.3 que curte a farofagem também. Kiko, não sei se é teu estilo, mas tu merece também, excelente resultado, parabéns.

Run - 48'38" - 8.3km


Faltou água no radiador.

Ontem eu teria um treino de transição para fazer e hoje descanso. Mas ontem como o tempo não colaborou, e não estava nem um pouco afim de pedalar 60km no rolo, confiei na previsão do tempo e deixei para hoje.

Aproveitei o dia para descansar e trocar o visual do blog.

Acabei saindo meio tarde, quase 10:30. A ida uma beleza, vento a favor, e conseguindo manter um bom ritmo sem o ponteiro ir no vermelho.

Já a volta foi bem sofrida. No pedágio tive o tradicional chilique com os amigos do mesmo, chutei os cones que impedem a passagem na via que seria destinada aos ciclistas e já fui avisando para não reclamarem quando eu passar nas catracas. Esse assunto ainda vai merecer um post inteiro.

Saí para correr me sentindo bem, não quis levar a aguá, pois achei que dava para aguentar tranquilo 10km. Enganei-me feio, os últimos 3km foram ardidos, não adiantava diminuir o ritmo que os batimentos continuavam lá em cima, o radiador estava fervendo.


Bike - 60.80km - 2h02'
Run - 10.33km - 55'19"

Volume da Semana.

Musculação - 2h
Swim - 2h26' - 6850m
Bike - 5h20' - 148km
Run - 2h50' - 30.83km

Total - 11h58'33" - 185.73

All time top ten in Kona.

Acho que vale o registro.

Nenhum atleta aparece nas três modalidades. Apenas Crissie Wellington aparece em duas (bike e run).
Acho que tal do Mark Allen corria direitinho, das dez melhores corridas, quatro são dele, a melhor também.

Observação feita pelo Ciro nos comentários:  Na verdade a melhor corrida é do Luc Van Lierd da Belgica em 1996, quando ele bateu o record da prova com 8h04


No tempo de corrida dele , esta computado os 3´ de penalização que ele levou por vácuo, no começo do ciclismo.


Então, esse tempo de 2:41:48 , é na verdade 2h38:48

SWIM

MEN
46:41 Lars Jorgensen USA 98
46:44 Lars Jorgensen USA 95
46:50 Jan Sibbersen GER 03
47:01 Noa Sakamoto USA 08
47:02 John Flanagan USA 08
47:04 Jan Sibbersen GER 04
47:15 Hiroki Hikida JPN 03
47:39 Bradford Hinshaw USA 86
47:41 John Weston USA 03
47:42 John Flanagan III USA 09

WOMEN
48:43 Jodi Jackson USA 99
49:11 Wendy Ingraham USA 98
49:51 Barb Lindquist USA 00
49:52 Wendy Ingraham USA 99
49:57 Ute Mueckel GER 97
50:28 Wendy Ingraham USA 99
50:28 Monica Caplan USA 03
50:29 Linda Gallo USA 03
50:30 Raleigh Tennant AUS 99
50:31 Jennifer Hinshaw USA 84


BIKE

MEN
4:18:23 Normann Stadler GER 06
4:21:36 Torbjorn Sindballe DNK 05
4:23:18 Chris Lieto USA 10
4:24:50 Thomas Hellriegel GER 96
4:25:11 Chris Lieto USA 09
4:25:21 Micheal Weiss USA 10
4:25:24 Faris Al-Sultan GER 05
4:25:26 Torbjorn Sindballe DNK 07
4:25:35 Chris Lieto USA 06
4:26:01 Maik Twelsiek USA 10

WOMEN
4:48:22 Karin Theurig SUI 10
4:48:30 Paula Newby-Fraser ZIM 93
4:50:16 Erin Baker NZL 93
4:50:16 Karin Thuerig DUI 05
4:50:41 Karin Thuerig DUI 03
4:52:00 Natascha Badmann SUI 05
4:52:07 Chrissie Wellington GBR 09
4:52:26 Natascha Badmann SUI 02
4:53:47 Natascha Badmann SUI 96
4:54:13 Michellie Jones USA 05

RUN

MEN
2:40:04 Mark Allen USA 89
2:41:03 Dave Scott USA 89
2:41:06 Pete Jacobs AUS 10
2:41:48 Luc Van Lierde BEL 96
2:41:57 Olivier Bernhard SUI 99
2:41:59 Craig Alexander AUS 10
2:42:02 Chris McCormack AUS 07
2:42:09 Mark Allen USA 95
2:42:09 Mark Allen USA 91
2:42:18 Mark Allen USA 92

WOMEN
2:53:32 Mirinda Carfrae AUS 10
2:56:04 Caitlin Snow USA 10
2:56:51 Mirinda Carfrae AUS 09
2:57:44 Chrissie Wellington GBR 08
2:58:36 Sandra Wallenhorst GER 08
2:59:16 Lori Bowden CAN 99
2:59:58 Chrissie Wellington GBR 07
3:00:52 Samantha McGlone CAN 07
3:01:25 Erika Csomor HUN 07
3:02:10 Lori Bowden CAN 03




De hoje.

Musculação e alongamentos ás 07:00.

Natação ao meio-dia. Hoje senti os braços mais pesados que normal devido ao up na carga dos ferros feita essa semana.

Swim: 2900m - 57'52".

De ontem.

Ontem, pedal noturno, com intervalados em circuito de 2km.

Eu e o Cícero, e um intrometido, que era uma mescla do filho do capeta com pitbull. No retorno de uma das rótulas, o filho da mãe vinha a mil, estava louco por uma canela magricela. Até pensei em pegar o celular e filmar a "perseguição", mas o desgraçado era rápido e forte, não ia dar boa coisa hehe.

Bike: 01h49' - 51.2km

Treino de praça

O brinquedo começou ao meio-dia com natação ao invés do almoço.

E terminou com um treino de praça, que seria de pista, mas como as duas que tem na cidade não tem iluminação, a noite o treino de tiro rola na volta da praça mesmo.

Série principal 8x1km, não consegui manter um Pace homogêneo em todos os tiros, saíram assim: 4'44" - 4'27" - 4'10" - 4'04" - 4'11" - 4'01" - 3'57" - 4'04".

Swim - 2.6km - 47'45"
Run - 11.1km - 49'53"

Treino 2

Pela manhã, musculação e alongamentos.

A noite, 1h20' no rolo, big gear ou quase isso, pois não agüentei o tirão inteiro.

Bônus track, DVD do Rosa Tattooada enquanto pedalava...chinelada na orelha!!!!

Tentando

Para tentar manter esse laço mais estreito com o blog novamente, vou começar a relatar os treinos diariamente, embora eu ache meio repetitivo esse tipo de postagem tanto para quem escreve tanto para quem lê, é a maneira de deixar as coisas mais movimentadas por aqui.

Segundo o countdown ao lado deve ser ao menos 100 postagem até o dia 04/12.

Então vamos lá: hoje era para começar com 2600 de natação, mas devidos aos exageiros cometidos ontem no aniversario de minha amada, fiquei mal do estômago, acho que caipira e cerveja não combinam mais comigo hehe...com 1350m tive que abortar o treino, o gel que tomei antes piorou o mal estar, saí rapidinho da piscina antes que fizesse uma porquice.

A noite ainda estava com o estômago meio embrulhado mas deu para encarar bem o treino de corrida. Foi até estranho correr sem estar cansado ou com uma dorzinha, pois vinha de 5 dias de inatividade recuperando-me de uma gripe.

Swim: 1350m - 30'07"
Run: 9.4k - 45'38"


Triatletas da Ironsul no 70.3 de Penha.

Leia sobre em Ironsul.

Parque dos Dinossauros

Recebi um e-mail de um amigo, Sr. Álvaro Moura, que relembra o ciclismo em Pelotas de quase duas décadas atrás.

 Relembrar é viver!

Vamos aos detalhes sórdidos!

Sapatilhas Crepaldi, a maioria, somente Osório e Dardo com clips, ficávamos babando, resto pedaleira ou tênis.
Somente Dardo com quadro carbono ou titânio e luvas alumínio, todos outros aço ou cromo. 
Alguns quadros recortados outros ñ.(só meu garfo uns 2kg no mínimo) By Dadinho (irmão do Samarone) ou Seu Wanderlei (mago de td).
Poucos com camisa de ciclismo, dificel de conseguir, apenas por telefone na Bicicletaria Puertollano (São Paulo) onde descobrimos as sapatilhas Crepaldi "triiii confortáveis e kentes brrrrrrr, meus dedos chegaram a encolher quando digitei Crepaldi".
Por isso eu usava aquele pochetão verde com td q tinha direito.
Capacete...pois é de esopor as vz e os óculos Oakley da hora, q horror, e o bonézinho de ciclismo ganhei de um aluno. 
Frioooo... que nada, calça comprida onde? existe  isso? (só o alfredo retardado de abrigo e sua Specialized sirrus toda 105, que era do filho do Rocha Brito, uma nave)                                                                                                    
Blusa térmica? opa digo blusão térmico, ou como meu pai diria "pull over" hehehe, e eu todo balakero com a camisa da equipe de natação do flamengo, ainda dava umas braçadas, bermuda com forro, esponjinha na verdade, xiii poucas e eu só tinha essa verdinha com lilás, lindia para todos dias kkkkk. Pneus horríveis td com manchão. Arrumando tubular com agulha e linha e por aí vai.

Nostálgico, mas muito legal rever estas fotos que nem sabia da existência, Braga escaneou e enviou.
Mas como Osório comentou, ainda desfrutamos da convivência com os amigos feitos ali na estrada e da paixão pelo esporte passando pela renovação de Reinaldo, Jorge, contaminando amigos e que já estão tbm vendo no Anderson et al. novíssima geração, é frenético, é a vida.

Boas risadas meus camaradas.

Nas fotos: Braga Osório Alfredo Dardo Otoni Alvaro Falange Pablo - kpela e cascata - 1993 / 1994











Lance bebum....


A volta dos que não foram..parte, sei lá!!!

Não tenho escrito ultimamente no blog, apenas postando algum vídeo que ache interessante para compartilhar com os amigos.

O tempo anda curto, o saco cheio e a criatividade em baixa. O único fator causador dessa ausência que é mensurável é o primeiro e que no momento atual é um bom sinal.

O tempo escasso deve-se muito a dedicação aos treinos. Desde o dia 23/05, data que comecei a receber os treinos através no Trainingpeaks, estava com 94% dos treinos propostos realizados até domingo. Acho que é um ótimo indicador para nós amadores, que temos que lidar diariamente com contra-tempos no trabalho, em casa e por aí vai.

Isto sem considerar o inverno gaúcho que tem judiado de quem gosta de praticar atividades outdoor, se não está fazendo frio, está chovendo, ou na maioria das vezes, ambos dão as caras juntos.

Até achei que estava com algum problema com a minha pedalada ou sapatilha, os pés com frequência ficavam dormentes. Filmei minha pedalada, comprei sapatilha nova, e a dormência permanecia. Bastou um treino com a temperatura mais elevada, que os sintomas foram embora tão rápido quanto chegaram.

Dois parágrafos acima citei que "estava" 94% até domingo. Essa assiduidade vai diminuir um pouco, uma gripe me pegou de jeito, nocaute direto.

Não penso em outra coisa, vou perder dois, três, quatro dias de treinos!!! - Logo na semana de maior volume do período de treino, aborrecimento tremendo.

Olho o countdown para Punta e a neura começa a bater! Será que estes dias sem treino vão fazer falta?!?! O lado razão logo surge, bobagem, faltam 109 dias! O lado neura retruca, e se isso tornar-se uma constância, não vai dar, vais quebrar! A razão logo pede a tréplica e acaba a briga, estás fazendo de acordo com o planejado, não vão ser pequenas pedras no caminho que te afastará da vitória. (Auto crítica do parágrafo - continua colocando os vidiozinhos e não perde teu tempo tentando escrever essas bobagens hehe)

Talvez a volta a "escrita" poderia ter vindo num momento melhor, contando um baita treino, um relato de prova, avisando que ganhei na loteria e fugi do país, mas ao menos a gripe serviu para começar estreitar o relacionamento com o teclado novamente.

Pan Americano de Porto de Galinhas ll

Alguém lembra do terror que foi a prova do Pan Americano de Longa Distância em Porto de Galinhas?

Pois é, este link relata uma triste notícia, que poderia ter acontecido com alguém que fez a prova, pois no mesmo local  ocorreu a natação da prova!!

Keep Walking

Apesar de ser contra a associação do esporte com o álcool, o vídeo vale a pena.

Reclamamos sempre de barriga cheia.

Ironman sub 8hs

Reproduzindo o que está no site atletas.info. Todos os Iron´s sub 8hs da história.

Se pegarmos os melhores tempos swim 44:38 (Macca 2008)  bike 4:11:43 (Raelert 2011) run 2:35:21 (Reid 1999) em cada modalidade teríamos 07:31:42. Será que é possível um Iron abaixo de 07:30?

De 1996 a 1999, em 9 oportunidades alguém quebrou a marca das 8hs. De 2008 a 2011 mais 9 atletas quebraram a barreira. Coincidência essa espaço de 4 anos? Ciclos de recordes?

Macca já conseguiu o feito 4 vezes.

A coluna "M" representa se o marca foi obtida no circuito oficial do Ironman.


Em dezembro entro para a lista :>)

Clique na imagem para ampliar.


Epic 5 Parte 3

Epic 5 Parte 1 e 2

5 Iron em 5 dias.

Parte 1



Parte 2

News

Depois de algum tempo sem atualizar o blog, venho partilhar algumas novidades.

Criamos um equipe de triathlon, a Ironsul. Ela é formada por atletas das cidades de Pelotas e Rio Grande. Para quem quiser conhecer a equipe e os atletas o blog já está no ar, vale a pena a visita. Até o final de semana, os perfis de todos os atletas já estarão disponíveis.

Aproveito a oportunidade para agradecer a Farmácia Natura, Museu Farmacêutico Moura, Rio Grande Refrigeração, Container Ecology Store e a Sims Dvd´s pelo apoio dado, e por acreditarem no nosso esporte.

Outra novidade, de igual importância, foi a decisão de realizar o Ironpunta em dezembro. Depois de realizar três provas de longa distância nos últimos 12 meses, chegou a hora de partir para uma prova com as distâncias do Iron.

Beleza do lugar, valor da inscrição, data da prova coincidindo com férias no trabalho, foram os fatores relevantes para escolher Punta como local para o desafio.

Já estou treinando há 3 semanas com foco para a prova. O frio dos últimos dias tem aumentando e muito o fator preguiça, levantar cedo não está sendo fácil. Sair da zona de conforto da cama quentinha tem sido uma batalha diária, ora vencida pela cama, ora vencida pela vontade de treinar.

Abaixo vídeo da prova da edição de 2010.


Clip IronPunta 2010 - Argentina Xtreme from Atletas.info on Vimeo.

Resume:

After a long time away I´m back with news.

We created a triathlon´s team - the Ironsul. This team is formed by athletes from Pelotas and Rio Grande. Please visit our Ironsul blog. You can find information about the team and the athletes.

I would like to thank Farmácia Natura, Museu Farmacêutico Moura, Rio Grande Refrigeração, Container Ecology Store and Sims Dvd´s for the support and to believe in our sport.

Ironpunta is my next challenge. I´m going to compete on December. So the time has arrived for me for Iron distance competition.

I started my training for Ironpunta three weeks ago.

The cold weather has been an oponent. Sometimes I prefer the bed than the training but I never give up my dreams.

220V

Não tem nada haver com o propósito do blog, mas é dedinho na tomada o tempo inteiro!!!

Na falta do que fazer....

Por falta de opções de entretenimento nas primeiras horas do dia, alguns fazem isso:

Saem para nadar no frio e para falar bobagem :-}

Vídeo Paris - Roubaix

Vídeo de produção holandesa em slow motion. Sensacional.


A quase volta do que quase foi.

Após o Halfpunta o trem literalmente descarrilhou!

O trabalho que antes da prova já estava me exigindo o corpo, agora quer a alma também.

A banda que mais odeio no mundo voltou a fazer uma turnê por aqui, a banda do iliotibial voltou a inflamar, e lá fui novamente, fisioterapia, alonga, fisioterapia, alonga.

Até achei que o fogo estava apagando, em 20 dias foram duas pedaladas e dois treinos de natação. Mas estou sentindo que este tempo inócuo tem servido para começar a alimentar o desejo novamente.

O que ajudou um pouco para esta chama voltar a acender, foi uma reforma. Com as modificações da sala do apartamento, minha "oficina" ganhou mais espaço e foi promovida a "escritório". O negócio ficou tão ajeitado que ganhou esta promoção de patente. Capacetes pendurados para cá, rodas para lá, ferramentas e demais apetrechos todos acomodados nos devidos lugares. Até sistema de áudio e vídeo para as sessões de rolo tem no office.

Hoje rolou mais um treino de natação no arroio com o Felipe, com mateada curtindo o pôr-do-sol.

Abaixo foto das wetsuit curtindo o visual e do "escritório".




New Balance Half Punta 2011

A preguiça de escrever apossou-se de vez do corpo. Até eu expulsa-lá, dois vídeos da prova.


Treino no Arroio Pelotas


Na foto: Henrique, vulgo He-man. Felipe, o cara que não envelhece. E eu, que dei uma canseira nos dois na água, cansaram de tanto me esperar hehe.

Até que ponto.....


Essa foto é de Petr Vabrousek, que completou seu 100º IM na Nova Zelândia. Todos devem ter lido a reportagem na Mundotri, mas o que me chamou a atenção foi a aparência do cidadão!!! O cara parece estar beirando os 60 anos...mas tem apenas 38 anos. Se por fora está assim, como deve estar por dentro?

Rapidamente lembrei de dois amigos que estão próximos dos 38 anos, Felipe e Marlos. Se eu colocar a foto dos dois junto a do Vô Petr, com certeza dá para traçar um paralelo onde há o pai e os dois filhos, tamanha é a difereça do aspecto da aparência.

Então refletindo um pouco, até que ponto vale a pena ter o estilo de vida Ironman? Eu ainda vou fazer um, dois, três......dez, ou talvez nenhum ao longo da vida, mas aos que chegam a esses números expressivos, não vão pagar um preço alto num futuro bem próximo?

Beto Bravo - Fantasia - Artista da família

Aquathlon do Cassino

Divulgando:


AQUATHLON DO CASSINO

Local: Praia do Cassino - Guarita central dos salva-vidas (em frente à estátua de Iemanjá)
Data: 6 de março (domingo)
Distâncias: 1100m de natação + 6 km de corrida
Inscrições: enviar nome completo, equipe/patrocinador e data de nascimento para o e-mail coriolis@vetorial.net até o dia 4 de março (sexta-feira)
Preço: R$ 10,00 (a pagar no dia da prova).

Horários:
- Concentração, pintura e instruções: 8:30 - 9:30
- Aquecimento no trajeto da prova: liberado até 9:45
- Largada de todas as categorias: 10h
- Premiação: meio-dia

Organização: equipes esportivas R.A.O. e Rio Grande Multisports - RGM.


Patrocínio:
Loja Container Cassino (Container Ecology Store Cassino - Av. Rio Grande, 523).

Apoios:
Secretaria Municipal de Saúde, Bombeiros e Salva-Vidas da Praia do Cassino (segurança)
JNIL Cereais e Supermercados Guanabara (alimentação/hidratação)
Associação de Corredores de Rua de Rio Grande - ACORRG (infra-estrutura)


Mais detalhes sobre a prova e os trajetos – http://mrdomingues.blogspot.com/2011/02/aquathlon-do-cassino.html